18 de fev de 2009

SATISFAÇÕES

Descubro aos poucos que quem tem blog, por vezes se sente obrigado a dar explicações. Esse é meu caso.

Tem acontecido muita coisa legal ultimamente e vontade não me faltou de vir aqui e contar. Mas sou dessas pessoas precavidas demais. E espero tudo estar resolvido pra falar, exteriorizar.

Para aqueles que me acompanham há tempos, preciso dizer que se não fossem 4 dias, eu teria batido quase que todas as metas que me propûs pra o ano de 2008. E a mais significativa foi que consegui bater a primeira meta.

"Ser admitida na maior empresa do Brasil", eu escrevi e talvez acharam que era muita pretensão minha desejar tal coisa. "Aliás, de que empresa se trata, Dé?", pessoalmente me perguntavam.

Vamos falar a real? Sou uma pessoa com ensino médio completo, tecnóloga em Administração e isso no nosso país não é muita coisa há um tempão. Fiz um montão de cursos, tenho capacidade e garra suficientes para crescer, mas isso não foi suficiente pra ninguém me empregar.

Por vezes, pedi aos amigos que se soubessem de alguma vaga pra recepcionista, vendedora interna, auxiliar comercial (ou o famoso "qualquer coisa") que me avisassem, não para me indicarem e sim para darem a chance de eu poder participar das entrevistas. E em resposta eu ouvia "que vc merece mais que trabalhar de recepcionista". E depois de certo tempo, fui obrigada a contar os porquês de eu fechar/desistir de uma empresa de 15 anos de relativo sucesso e começar minha carreira profissional.

Enfim, descobri também que alguns quando não tinham emprego nenhum, sempre que eu sabia de alguma vaga, eu comunicava, emprestava meu jornal diário porque sempre soube da dificuldade de se ter e manter um emprego.

Descobri tb que com 30 anos eu era "velha" para ser uma recepcionista. Descobri isso quando em uma dinâmica, fui preterida por uma menina que falava "mindingo".

Então comecei a ver que eu precisava entrar pela porta da frente, sem depender da boa vontade dos amigos bem intencionados e sem o preconceito do mundo corporativo. Foi assim que decidi que seria uma trabalhadora da maior empresa do Brasil.

Pense comigo: qual é a única empresa brasileira que nunca tem prejuízo, que os salários de todos os funcionários são pagos em dia, que existe plano de carreira e que depende exclusivamente do seu esforço e dedicação pra ingressar lá dentro, sem passar pelas vexatórias entrevistas de emprego?

Se vc não soube atinar sobre o que estou escrevendo, sinto muito em dizer que não poderei ser mais explícita e em breve vcs saberão porque.

4 dias se passaram desde meu aniversário e eis que eu ingresso em um bracinho tímido, filial eu diria, da maior empresa do Brasil.

A partir deste momento, como escrevi no capítulo das metas, a minha vida dependeria basicamente deste item para que eu movimentasse o resto das metas. Portanto, algumas mudanças neste blog ocorrerrão também.

Meu tempo será mais reduzido e com isso as postagens serão talvez mais espaçadas. Terei uma nova rotina, vivência que com certeza renderão bons textos por aqui e é por esse motivo mesmo, que não posso ser mais explícita, pois como boa funcionária que sou, pretendo falar mal da chefia.....eheheheheheprezo pela discrição.

Mundo Sano era um nome ótimo para a situção que eu estava vivendo: buscando o equilíbrio em um momento que a vida me passou uma bela rasteira e ainda pisou em cima do meu braço. Não bastando isso, ela ainda olhou pra trás e riu da minha cara.

E que bom que a minha vida mudou. Que bom que ela gradativamente mudará mais ainda, pq eu pretendo crescer, expandir e resolver todas as pendências. Só assim se pode recomeçar.

Quero agradecer a todos os que se importaram de verdade pela minha busca de sanidade. Agradeço a minha irmã e meu irmão, Namorado que foi mais que um namorado. Agradeço às pessoas que botaram fé em mim e na minha recuperação e ainda, àqueles que demonstraram a preocupação comigo. Agradeço a todos que me proporcionaram momentos de felicidade nos dias que eu mais precisava mesmo. E agradeço a todos que me golpearam pelas costas, que me criticaram, que foram sarcásticos, que foram irônicos e que me desprezaram tanto.

Se não fossem esses últimos, muito porvavelmente eu ainda duvidaria do que sou capaz.

Agora é hora de faxinar!

P.S.:" Para quem ainda não acredita em Numerologia, quero dizer que lamento muito se esse é seu caso. Entrei em um ano 8 (concretizações) e ganhei o que eu plaltei no ano anterior. Encerrei as coisas em um dia 9 e comecei em um dia 1. Que bom que eu soube me programar."

Nenhum comentário: