18 de dez de 2008

ME CHAMEM DE LOUCA

Mas eu digo e repito isso pra quem quiser: na minha casa (não a atual, a futura) quem cozinha sou eu. Empregada? Sim, ela lava, arruma, passa e faz qualquer outra coisa, menos cozinhar.

Quando o Namorado fala sobre os planos pra o futuro e diz que quer isso ou aquilo e eu digo que ele tá louco de querer tanto, pois não sobrará tempo pra nada, nem pra usufruir as coisas que ele tanto quer; ele sempre vem com a praticidade masculina:"mas nós não vamos ter empregada?".

'Tá, vamos ter empregada, mas ela não cozinha. Não é por nada não, mas tirando os "TOC's" que eu tenho e etc, sempre achei muito fácil alguém envenenar outras pessoas pela comida. Talvez sejam resquícios de outras vidas, sei lá.

Fato é que depois da cândida na mamadeira de uma criança, de bombons envenenados e estrategicamente postos em cima de uma mesa na casa de quem foi viajar "para que o ladrão caso entre, morda o bombom e morra", do bolo de brigadeiro dado a 3 crianças por uma inimiga da mãe delas..... tudo isso me fez prudente no assunto.

Sem contar aquela cena clássica e surpreendente do "Sexto Sentido" que a madrasta coloca pinho sol na sopa da enteada doente.......

Hoje, temos mais uma suspeita.

E eu quem sou a cismada, né?