5 de ago de 2008

VALE PELO REGISTRO

Bom, eu odeio shopping center. Mesmo. Tipo, eu até vou e consigo achar lados positivos em uma ida até o shopping, porém, é o último lugar da Terra que eu iria pra me divertir.

Não vejo nada de divertido. Acabo sempre me instalando em algum lugar tipo livraria ou boliche dentro do shopping. Nem pra comprar roupa. Roupa é no Brás e de preferência no bandejão, pq tem o espírito de gincana: achar roupas lindas e com preço ótimo, ou seja, aventura!

Mas, nem sempre a gente faz apenas aquilo que gosta, não é verdade? E eu não sou diferente. Pois bem, precisava comprar um vestidinho e tals pra uma festa e caímos em um shopping. E shopping meus caros, vem gente do mundo todo.

Agora imagina, eu comprando roupa de festa e chegar em uma loja de vestidos para tal e dizer: "Seguinte, moça. Eu não quero vestido brilhoso, nem com pedras, nem latejoulas, nem bordados. A cor não pode ser preta e tirando essas coisas que eu falei, o vestido pode ser de qualquer cor ou modelo, tá?"

E a pobre moça devia se perguntar o que eu fazia em uma loja daquelas...." Por que vc não vai até uma costureira e pede pra ela fazer um que vc goste?", teria eu perguntado se estivesse no lugar dela.

Vou poupá-los dos detalhes quase sórdidos do que é alguém trazer 30 vestidos e vc bater o olho e dizer: "não, não, não, esse experimento, não, não, não, não não, esse experimento......" e repete-se a mesma coisa em 5 lojas.....

Cheguei em uma loja, quase desistindo e a moça captou qual era o meu staile. Trouxe alguns. Experimentei...... e entalei em um deles, tipo, eu de calcinha dentro do provador, com metade do vestido na minha cara e o zíper bem em cima da minha garganta (tipo o zíper ficava nas costas) e duas alças do vestido em um mesmo braço. Entalada, mal conseguia chamar alguém pra me ajudar, sem me importar que eu poderia aparecer nua em uma loja cheia de estranhos. Só queria me ver livre e de preferência, sem estragar um vestido que eu não compraria.

Pois bem, olho pro namorado que pacientemente me esperava e vejo que ele dava sutis risadas. Mas eu estava tão fula que eu nem dei importância.

Saindo da loja, enfim com o meu vestido, ele me perguntou se eu tinha reparado na moça que estava no provador ao meu lado. Disse que não e foi aí que ele me mostrou a foto:



Ahhhahahahahahahahahahaa.

Tipo, para o meu namorado reparar (sendo que ele é do tipo que nem sabe a diferença de uma echarpe para um lenço, coisa que define bem os conhecimentos dele em moda) é sinal que a coisa tava feia....

O que leva a pessoa a sair do Rio De Janeiro, vir pra Sampa e pôr meia de dedinhos coloridos e um chinelo pra ir a um shopping? Jesuis.......

Como eu soube que ela era do Rio? Simples, o namorado ficou só de botuca escutando.

Eu estou criando um monstro. Logo o namorado vai começar a descobrir minhas breguices......

OPA, ESTAMOS AÍ

Hoje demorei mesmo pra vir aqui. Tem muita coisa acontecendo aqui na minha cabeça.
Uma delas é a vontade imensa de pôr as coisas pra funcionar e estar sempre avançando na vida. Parece que isso é uma coisa tão ambiciosa, pelas dificuldades que eu enfrento.

E ainda restam os chatos que a todo momento me lembram que existem por mais que eu sumariamente os ignore.

Mas cada coisa no seu tempo, né?!