1 de set de 2008

PEQUENAS ALEGRIAS

Há muito tempo eu não fazia a peregrinação pelo bairro resolvendo as pequenas pendências como: banco, sapateiro e etc. Houve um tempo que eu fazia disso todos os dias.

Confesso que agora, com todo o tempo do mundo pra usar/gastar, ainda ando no ritmo que eu andava: acelerada, como se fosse perder a hora para algum compromisso.

Pois bem, andei tentando relaxar acompanhada da felicidade de eu poder pagar as minhas contas totalmente all by myself. Aproveitei e fui tb comprar uma calça jeans. Sim, pq no total eu joguei fora 4 calças. Todas rasgadas no lugar do saco, sendo que eu não tenho bolsa escrotal pra desgastar essa parte da calça. Isso continua um mistério pra mim.

Felicidade: levei para o provador algumas calças e tirando a teima percebi que a 36 encaixou per-fei-ta-men-te em mim. Isso que calça jeans depois da lavagem ainda laceia. Felicidade ainda por não precisar fazer barra nela e mais felicidade ainda poder pagar com o meu dinheiro a calça jeans. Tudo bem que a calça nem chegou a 20 reals mas mesmo assim, pra mim, foi uma pequena felicidade.

E eu como tinha levado minha bota ao sapateiro para trocar o saltinho, usei a minha sacola retornável. Na loja de calças, precisam ver a cara da katyúlci que me atendeu, quando eu disse pra ela que rejeitava o saquinho da loja e que preferia levar no meu......

Pobre adora uma sacola de loja só pra mostrar pras amiga que comprou coisa. Eheheheheheh.

Enfim, o dia, além de tudo ainda esta com um incrível céu azul:

(Faltou o branco para compôr a bandeira nacional)

Depois, fui ver o André trabalhar e coitado, uma fila gigantesca pra ele atender. Passei o recado e vazei.

Encontrei uma pilha de lixo em um lugar estratégico e estou pensando seriamente em me engajar na causa. Vamos ver se consigo apoiadores.

Quem sabe, em breve eu escreva aqui mais episódios emocionantes (de verdade) sobre meu cotidiano, não é?

P.S." Esqueci de contar que vi uma vereadora muito famosa aqui no bairro, que eu não vou falar o nome já que é época de eleição, mas posso dizer que já falei dela aqui. Ela com aquela cara de mãe do Supermouse, estava lambendo os dedinhos e os beiço com as frutas da banca do Bom Parto. E meu, já a tinha visto pessoalmente mas nunca a tinha visto usando calça jeans. Que bunda gorda que ela tem! Jesuis! Será que é de tanto ficar sentada na Câmara de Vereadores, fazendo tipo..... nada?"

SAMPA, FDS, TEMPINHO COCÔ

Há quem goste do frio. Esse alguém não sou eu, definitivamente.

O Namorado veio me buscar e eu não botei muita fé no agasalho. Sorte é que eu sempre levo casaco na mala. Paramos estrategicamente entre a Sé e a Liberdade. Havia coisas pra fazer nesses lugares, incluindo na República.

Na boa, o tempo Sábado 'tava um cocô: frio demais, cinza demais, garoa demais. Só não era um dia deprimente, pq eu estava com o Namorado.

Aqui, a "bunda" da Sé:


Incrível que mesmo sendo um tempo cocô, a cidade continua cheia.

Entramos em alguns sebos. Não vi nada legal e olha que eu curto um sebo. Depois, caminhando pela cidade, fiz algumas fotinhas:


Andando pela rua, vc via pessoas de um casaco só e os braços cruzados em uma explícita demonstração de "caracas, não botei fé no frio!"


Alguma cor no mundo cinza:


E um raro momento patriótico sem contexto esportivo:


Paramos em uma padoca pra tomar alguma coisa e lá eu comi o maior pudim de leite que já vi na vida. Juro, porções individuais que duas pessoas comem numa boa. Quase fotografei, mas fiquei assim meio constrangida. A casquinha do pudim, era toda convidativa.

Um dia volto lá e fotografo (e como, claro).

Mesmo com tudo o que eu citei, não tem como eu não gostar de Sampa.