26 de jan de 2010

PRA QUEM NÃO VIU

a coçada:



E aí? Sou exigente demais?

25 de jan de 2010

´TÁ, EU NÃO DEVERIA

Enumero duas coisas top master irritante de hoje:

*Nova propaganda da Qualy.
Longe da porcaria que eles voltaram com aquela coisa de histórinha sequenciais das propagandas sobre família e blábláblá mais do que explorada nos anos 90.

O que me irrita mesmo é por que a mãe-do-garoto-que-está-de-namorado-novo, tem que COÇAR A CABEÇA COM O NEGOCINHO DE FAZER CLARAS EM NEVE!!!!!!!!!!!!!

Depois vai dar o bolo seborrento pra o pirralho comer. Eca!


*Gente que não sabe etiqueta.

Tudo bem não saber. Mesmo. O problema é quando vc vê e quer copiar. Porra! Assim não dá pra ser fina.

Eu não deveria mas vou dar um toque pq etiqueta não é exclusividade minha (só das pessoas bem educadas) e pq ninguém nasceu sabendo.

Observe atentamente a figurinha:



Agora responda:

* De que lado do prato os talheres estão?
*O corte da faca está "olhando" pra onde?
*O garfo está de "bunda" pra cima?
*Se o prato fosse um relógio, que horas seriam?

Se vc não sabe o porquê de cada resposta a estas perguntas, deixa pra lá. Apenas grave mentalmente a figurinha e copie. Grave e treine pra não passar ridículo.


(Sou faxineira mas sou educadinha! Eheheheheh)

23 de jan de 2010

TEATRO

Acabamos de vir do teatro do Centro Cultural de São Paulo e recomendo que assistam à peça:



Garagem do Rock!

Peça que mistura humor e show de rock (cláááássicos!).

Excelente pedida pra um programa de Sábado, preço convidativo e merecidamente premiada em Curitiba.

VERÃO

" A fisionomia das mulheres só começa aos trinta anos. Até essa idade o pintor só encontra em seus rostos o rosa e o branco, os sorrisos e expressões repetem um mesmo pensamento, pensamento de juventude de amor, pensamento uniforme e sem profundidade; mas na velhice, tudo na mulher se exprimiu, as paixões se incrustaram em seu rosto ; ela foi amante, esposa, mãe; as expressões mais violentas da alegria e da dor acabaram por caracterizar, torturar seus traços, imprimendo neles mil rugas, todas com uma linguagem; um rosto de mulher torna-se então subime de horror, belo de melancolia, ou magnífico de calma ...(...)

(...) mas sim aos verdadeiros poetas, àqueles que têm o sentimento belo independente de todas as convenções sobre as quais repousam tantos preconceitos em matéria de arte e beleza."

Honorè de Balzac, A Mulher de Trinta Anos.

Pois é queridos. Timidamente voltando.

E este livro é fantástico. Não é à toa que é um clássico e não trata da beleza real Dove.

Recomendo que leiam.

E depois eu volto.