5 de mai de 2008

COMO EU BEM DISSE

não combinei nada e acabei encontrando gente bacana. Daí rolou a pergunta inevitável: "vai fazer alguma coisa agora? Não? Vamos andar juntos?"

E assim, fomos parar no Sesc Paulista. Chegando lá, disseram pra gente que rolava uma expô sobre a imigração japa. Daí que eu imaginava ser algo sério, algo antigo e talz...

Meu, puta choque! Ahahahahahaha. Tinha muitos jovens (a véia falando), nas máquinas de dança, videogames, karaokês, prateleiras com bonecos de changeman e jaspion e etc. O visual, maior cítrico, puta som alto e talz.... muito colorido. Parecia que eu tinha caído dentro de um saquinho de confete.

Bom, entre algumas coisas, me chamou atenção esta casinha:


Feita todinha de :

canudinhos......

Puta trabalho. Achei bacana. Daí tinham esses cubos aí:

Achei uma decoração bem legal. Ao invés de compensado, alguns desses cubos eram feitos todos de origamis entrelaçados uns aos outros.

Aqui o cartaz da expô:

Sim, uma parede de carpete pink.....

Daí nos avisaram que no 9º andar, rolava outra expô. Chegando lá, maior ambiente dark: tudo no escuro, o chão todo irregular, peças iluminadas com foco de luz. Ou seja: me senti dentro de um comercial de cigarro Free de tão conceitual que era essa expô. Fora uma senhora que fazia "evoluções" que conseguiu assustar eu e o respectivo, de verdade.

O ponto mais iluminado da expô:


Quando perguntei até que dia ía a exposição, me informaram que nós chegamos no último dia dela. Poxa, os amigos que eu conheço que com certeza iriam gostar, perderam.

Daí que eu gosto de sair assim, meio que a esmo, caçando lugar bacana. Na Paulista, o que não falta é lugar bacana.

NÃO ME CULPE


Garrafona na margem do rio Tietê.

Imagina: puta trânsito, puta chuva, noite..... Essa foto foi a melhor da série de 6 que eu tirei. Mas mais legal mesmo, seria vc ver ao vivo essa instalação que nos chama atenção sobre a poluição do mundo pet .....

Eu mesma, já determinei que o máximo que eu puder comprar de roupa nova feita a partir de garrafa pet, fora as vassouras feitas delas; vou ainda levar todas as garrafas que eu puder pra reciclagem.

As camisetas, são o máximo, porque além de tudo, elas não amassam. Práticas e duradouras. Macias como algodão. As vassouras, ótimas.

E dizer que tem gente que ainda tem preguiça de levar o lixo nos postos de reciclagem. Fácil reclamar da poluição: levantar a bunda gorda da cadeira pra fazer alguma coisa.......

COISAS VARIADAS

Vamos passar por alto do que eu fiz, pra não ficar com cara de "meu querido diário". Não engano ninguém: não sou mais adolescente, não pinto e romanceio minhas atividades, nem fantasio nada. Aliás, o único tempero é o meu humor (ou mais falta dele) perante os fatos.

Por motivos de intimidade de terceiros, vou aqui resumir, sem detalhar. Nestes 4 dias eu:

  • Levei o cão pra passear. Mesmo com uma garoa fina. Mas foi maior legal.
  • Cozinhei muita tranqueira. O correto seria dizer que eu preguicei e que não cozinhei, mas uma vez que as tranqueiras precisavam ser cozinhadas, eu digo assim mesmo que cozinhei.
  • Ajudei a arrumar um jardim. Botei a mão na terra, mas me sujei pouquinho, quase nada.
  • Preguicei horas em frente à tv, assistindo coisas idiotas e coisas legais. Entre elas, um filme inglês que eu não me lembro o nome. Quando lembrar, eu falo aqui.
  • Me envolvi em um acidente de trânsito. Nada grave por pura proteção do alto. Constato mais uma vez que meu Marte tá espertinho no ano dele. A coisa era pra ser muito pior. Só pode ser inveja de mulher mal amada.... eca!
  • Papo leve com amigos comendo pizza e bebendo vinho. Muitas risadas, doces de empanturrar e histórias muito engraçadas. Conheci gente nova e adorei. Melhor ainda, saber que minha amiga está feliz.
  • Vi coisas legais, coisas inéditas, encontrei pessoas queridas no mesmo lugar, sem combinar. Tem coisa mais legal?
  • Docinhos japas da Liberdade..... humm... uma experiência com um refrigerante "exótico" nada legal e uma tentativa com um suco de chá (isso mesmo), pior ainda.
  • Gente reunida pra ver 4 jogos de futebol ao mesmo tempo e partidas de nintendo wii, intercaladas com conversas junguianas....... acredite... muito legal.

E aqui estou de volta à quase rotina. Tentando ainda digerir tudo o que foi vivido. Claro, com tanta chuva, frio e umidade, a garganta aqui deu um arrepio. Tossindo, quase sem voz, mas é um charme, não é?

E LÁ FUI EU MAIS UMA VEZ

O dia amanheceu de um jeito chatinho: chovia muito. Por conta disso, mudei o que seria meu plano de fuga de Sampa. Aproveitei um espacinho de nada do tempo, peguei minhas coisas e rumei quando descobri que por 10 minutos não chovia.

O frio..... a mochila pesada. Nada disso importa, mesmo pegando metrô, quando vc está prestes a encontrar quem vc gosta.

O ônibus, atrasou. Claro, hora do almoço, o trânsito mais que horroroso. Daí que o motorista do ônibus veio e teve que se virar com as desculpas. Eu, uma moça sem compromissos empresariais/comerciais/de horário, nem liguei.




(Lá estava eu mais uma vez, no mesmo lugar)

Quarenta minutos de congestionamento (de uma viagem de 1 hora e meia sem trânsito). Parado mesmo. Não andava de jeito nenhum. O ar-condicionado no talo, eu perto da lataria do ônibus. Mais chuva. Dessa vez, era torrencial. Mas nem me importei.

Cheguei bem mais tarde do que imginava. Foi bom sair cedo. Com fome, frio, saudades..... Bem recepcionada como sempre pela parte que mais me interessava e por todos.

Mal eu sabia que os próximos 4 dias eu viveria muita coisa variada.