15 de abr de 2008

EDUCAÇÃO NADA ARTÍSTICA

Então, lembra da olaria que vc pega, pinta, queima e leva? O namorado no sábado de manhã, foi buscar nossas peças. E sorte que foi ele a buscar, pq se eu tivesse visto a minha peça na frente dos estranhos, teria dado vexame de tanto que eu iria chorar.....

Primeiro a peça dele, baseada em uma jaguatirica:


Vejam que ele conseguiu fazer o malhado da pelagem....

As costas da jaguatirica-gato-cofre:

Ficou lindinho, né?

Agora o meu, que ainda terei a cara de pau coragem de entregar pra pequena Fifia, pra que ela tenha uma recordação da tia e que possa juntar dinheiro pra sua velhice (coisa que a tia aqui não consegue fazer).

Atenção leitores, retirem os cardíacos, as crianças e as pessoas de bom gosto da frente do pc. Risco de chiliques e crises de riso sem fim:




Pior é vc ouvir o namorado dizer: "Ahhhhhhhhhh, mas ficou bonitinho, Dé......, gostei mais do seu do que do meu....."

As costas do gato-desastre-cofre:
`
Podem rir agora....

Tudo bem que eu sei que a minha coordenação motora não é lá essas coisas, que eu não fiz pré-escola... mas sabe quando vc tem a esperança de que algo vai sair mais bonitinho? Então, não saiu....
Buáááááááááááá!

Mas ó.... vcs me aguardem. Pq eu vou voltar lá e vou fazer outra bosta, com certeza mais peças até eu me convencer que eu não levo jeito mesmo fazer alguma coisa que preste.

Ah, se vou!!!!

PARTE DA PROMESSA

E domingo, fui de novo pra Barueri. Ainda acordei mais cedo do que deveria, pq do contrário, não sairíamos a tempo de poder tirar o carro da rua, por causa da Maratona de Sampa que rolou no domingo, bem na rua onde a gente fica nos fds.

Portanto, mais uma vez, desculpa pelas poucas e más fotos. Barueri como eu disse antes, é uma cidade de milhões de fontes. Todo o lugar onde couber uma estátua, um pequeno monumento, lá estará também uma simbólica ou farta queda d'água:

Uma cabeça de sei lá quem com água por todos os lados.

Aqui, um índio com sua particular "cachoeira":

"Débora, cadê a água?"

Verdade, é que era tão cedo quando fomos pra lá, que nem as cachoeira tinham "acordado".

Fomos na feira (que por sinal fica bem no centrão da cidade) para comer um pastel (sorry, mana) e depois de devidamente instalados, percebemos que estávamos na barraca errada: a outra era cheia de gente, enquanto a nossa estava minguada. A outra ostentava panos limpos, a nossa.... bom, o que importa é que o pastel quando frita, devido à alta tempertura, mata todos os vermes e bactérias, certo???

Fiz o que tinha pra fazer e lá fomos de volta à civilização Sampa.

Ah.... esqueci de falar: passamos por mais uma escola municipal.... que inveja das escolas de lá. Só vendo pra vcs acreditarem nimim.

ATO DE REBELDIA?

Sei que esquecemos de fazer a nova vacina do namorado. Depois de tirar o sangue, ver como tava a taxa de sei lá o quê e ainda saber que dentro de 15 dias tinha que repetir a vacina, esquecemos. Também, são tantas coisas pra lembrar, alguma falha.

Por causa de uma exposição que eu estava procurando soltei o "podia aproveitar e ir lá ver o lnce das vacinas"... e fomos:

Aqui a fachada do Instituto Pasteur, que fotografei disfarçadamente, pq vcs que me lêm faz tempo, lembram que fui desencorajada a fotografá-lo, "pq precisa de ordem da mulher"... seja lá qual mulher é essa que nunca está por lá

Era de noite, não pude usar flash pelos motivos óbvios e ainda tirei correndo que nem menino que toca a campainha e sai correndo....

E por dentro? Aháááááa, Serginho Mallandroo!!!

Enquanto esperávamos a vez do namorado tirar sangue (pq na verdade ele iria ser examinado novamente pra ver se ganhou a titulação ou não), ele vigiou o corredor dos funcionários e eu tirei um milhão de fotos com a câmera quase dentro da bolsa:

Pena que não deu pra tirar a foto no plano que eu gostaria. Mas daí vcs já têm uma idéia do quanto as portas são lindas.... todas com o monograma do Instituto. O prédio é lindo, com áreas arborizadas, pé-direito alto e arredondado, típico da contrução de época....

Mas ó.... ainda vou fotografar muito lá dentro, vcs vão ver!
Até pq fora o namorado, tô pensando seriamente em pôr a minha carteira de vacinação em dia.