27 de mai de 2008

HOSPITAL SÃO PAULO

Lá fui eu em pleno feriado no hospital. Gostoso, né? Ainda mais quando vc mal respira e tem uns trezentos nas cadeiras pra serem atendidos juntinho com vc e ficam tossindo, espirrando e sei lá mais o quê, debaixo do seu nariz.

Depois de deixar muita gente passar na minha frente, pq eu sei que há prioridades maiores que a minha de não respirar, decidi rodar a baiana quando percebi que a garota que estava atrás de mim, que eu a ouvi falar ao celular com a amiga katylenny que "só tinha ido ao hospital pra pegar atestado pra não trabalhar uns bons dois dias, pq a fulana a tinha chamado de 'lixo' e ela não a queria mais encontrar"; tinha conseguido ser atendida primeiro do que eu.

Agora te pergunto: alguém que vai pegar atestado pra não ir trabalhar, que tira a vez de quem precisa de atendimento e que trai a confiança dos médicos e do patrão, é o quê? Não é um lixo, mesmo?

Bom...... sei que quando rodei a baiana e expliquei que tinha chegado cedo, pq de madrugada não consegui ser atendida e que estava esperando há tanto tempo que deu brecha pra eu ter tido duas crises enquanto esperava...... me passaram na frente de TODO mundo.

Enquanto eu esperava pacientemente pela minha vez, percebi algumas coisas. Vc sabe que está indo demais ou ficando tempo demais no hospital quando:
  1. Conhece já os atendentes pelo nome. Note que eles trabalham por turnos bem diferentes.
  2. Seu namorado vai junto com vc, não só pra te acompanhar, mas também pra cuidar de si mesmo, pois deu tempo dele se mchucar jogando futebol.
  3. Em um hospital que não é do seu bairro, que tem zilhões de pessoas pra serem atendidas, qual a chance de vc encontrar alguém conhecido? Só quando vc extrapola o que seria o tempo recomendável para estar lá.

Reconheci em uma cadeira-de-rodas, meu professor de informática que sofreu um pequeno acidente de moto. Só soube que se tratava de um pequeno acidente, quando hoje ao mandar um e-mail pra ele, ele responde dizendo que afinal não tinha quebrado nada.

Pra completar a "saga hospitalar", a coisa mais chata que tem, é vc ir até lá justamente por não se sentir bem, por estar alguma coisa fora do normal e o médico olha pra vc, depois de te ascultar e palpar trocentas vezes e diz: "vc não tem nada, viu?"....

PORRA!!!!Putz, como assim "não tenho nada"? Tipo, se eu não tivesse nada, o último lugar que eu iria circular em um feriado, era o hospital....

Eles podiam pelo menos dizer "olha, vc não tem nada de anormal, viu? é isso, aquilo e o outro". Afinal, saí de lá não sabendo o que tenho e nem sabendo quando vou melhorar....

Mas tô me sentindo bem. Graças a Deus e o meu bom "Jesusinho da horta", tá?