26 de mai de 2008

BUNKYO E SUAS SURPRESAS

Estamos carecas de ir no Bunkyo, que é um centro de cultura japonesa. Lá vimos sempre o festival de danças folclóricas do mundo todo, que já escrevi aqui sobre.

Daí que soubemos que teria algo rolando por lá, por conta dos 100 anos da imigração japonesa. Fomos uns dias antes nos informar, mas apenas vimos alguns seres fantasiados/coloridos/customizados meninos e meninas na fila para o show de um astro-pop-japa-de-verdade que vinha pro Brasil.

Então, chegamos lá para o evento:


(Adoro esssas bandeirolas)

No saguão, alguns painéis bem diferentes e legais. Destaco esses aqui:


Este painel era maior.....


Este aqui fazia parte do painel de cima, mas não é sequência:


E este aqui mais "modernete":



No auditório, rolaram algumas atrações.Conseguimos assistir à uma demonstração de Aikidô e também uma demonstração de tambores, Taikô Dojo:
Se com apenas esse número de instrumentos vibração é forte, imagino quando o exército chegava nas proximidades de cidades tocando centenas deles

Já no segundo andar, rolava uma aula da carimônia do chá. Infelizmente as fotos não ficaram muito boas, pois achei mais prudente respeitoso, não usar o flash. Os kimonos que a mulherada usava, que coisas mais lindas....
O senhorzinho que estava preparando o chá, curiosamente não era japa. A professora sim

Muitos ikebanas, aliás, deixa antes dizer uma coisa: assim que entramos no segundo andar, o perfume estava maravilhoso, pois era o cheiro do chá, somado ao cheiro das flores frescas.
Os ikebanas, meu pai de deus, cada um mais lindo e engenhoso que outro. Claro que como era uma atração voltada ao povo japa, tinha que ser realmente uns ikebanas mais elaborados.
Daí tinha um workshop de Shodô. E o meu respectivo, tinha muita vontade de aprender. E fez com que eu fizesse a aula também. As professoras, muito pacientes. Realmente, posso dizer que escrever dessa forma é muito legal, mas tem que prestar muita atenção mesmo na postura. A postura é que fará toda diferença para que o traço fique legal.
(Professoras preparando a aula)

Daí sentei. Ouvi um barulho forte: era a máquina de fotografar que tinha se estatelado. Reuni tudo dela e sentei pra aula. Não conferi uma das fotos que tentei tirar da postura do pincel

Quando cruzamos TODO o Bunkyo (aliás, descobri que ele é maior ainda do que eu imaginava) e tentei tirar foto de um tsuru gigante, descobri que estava sem meu memory stick na máquina

Pânico. Desespero. Vontade de chorar. Como atravessar o Bunkyo de volta com trocentas pessoas pelo caminho? Voltar lá no segundo andar e tentar encontrar embaixo da mesa. Alguém teria achado e guardado

Cheguei lá, expliquei pros professores que me deixaram caminhar por debaixo da mesa e tentar achar. Alívio: estava lá no chão, embaixo de uma sacola cheia de jornal pra forrar a mesa da aula

Ah, vale dizer que quem ministrou o Workshop de Shodô, foi a Associação Shodô do Brasil. Telefone deles: 5083-2667. Endereço: R. Dr. Siqueira Campos, 134- metrô São Joaquim

Quem sabe, logo faço aulas de verdade por lá......

PARADA GAY

foi realmente "parada".

Explico: tentamos ir na parada gay, olhar o movimento. Sabe como é, nas fotos, nos programas de TV, mostram sempre pessoas fantasiadas, muito colorido, muita diversão, ou seja, o lado "gay" propriamente dito.

Daí que era umas 16:00 quando conseguimos descer no metrô Consolação. Morrendo de medo de sofrer um arrastão, como conteceu no ano passado, ainda assim nos arriscamos.

Bom, o que vimos na Parada Gay? Quase nada. Pois mal se andava, muita gente hétero vinda so subúrbio (obviamente), alguns travestis nús (decepção pq não havia nada tão colorido) e algumas pessoas fumando maconha (coisa que eu detesto, maior cheiro de galinheiro). E muuuuita gente mijando na rua.... eca.

Decidimos então andar pela Consolação, que estava mais interessante que a própria Paulista.

Talvez se nós tivessemos chegado mais cedo, provavelmente teríamos visto o lado mais divertido da parada.

Fica pra ano que vem.