5 de mai de 2008

COMO EU BEM DISSE

não combinei nada e acabei encontrando gente bacana. Daí rolou a pergunta inevitável: "vai fazer alguma coisa agora? Não? Vamos andar juntos?"

E assim, fomos parar no Sesc Paulista. Chegando lá, disseram pra gente que rolava uma expô sobre a imigração japa. Daí que eu imaginava ser algo sério, algo antigo e talz...

Meu, puta choque! Ahahahahahaha. Tinha muitos jovens (a véia falando), nas máquinas de dança, videogames, karaokês, prateleiras com bonecos de changeman e jaspion e etc. O visual, maior cítrico, puta som alto e talz.... muito colorido. Parecia que eu tinha caído dentro de um saquinho de confete.

Bom, entre algumas coisas, me chamou atenção esta casinha:


Feita todinha de :

canudinhos......

Puta trabalho. Achei bacana. Daí tinham esses cubos aí:

Achei uma decoração bem legal. Ao invés de compensado, alguns desses cubos eram feitos todos de origamis entrelaçados uns aos outros.

Aqui o cartaz da expô:

Sim, uma parede de carpete pink.....

Daí nos avisaram que no 9º andar, rolava outra expô. Chegando lá, maior ambiente dark: tudo no escuro, o chão todo irregular, peças iluminadas com foco de luz. Ou seja: me senti dentro de um comercial de cigarro Free de tão conceitual que era essa expô. Fora uma senhora que fazia "evoluções" que conseguiu assustar eu e o respectivo, de verdade.

O ponto mais iluminado da expô:


Quando perguntei até que dia ía a exposição, me informaram que nós chegamos no último dia dela. Poxa, os amigos que eu conheço que com certeza iriam gostar, perderam.

Daí que eu gosto de sair assim, meio que a esmo, caçando lugar bacana. Na Paulista, o que não falta é lugar bacana.

Um comentário:

Lu disse...

Até agora não entendo o acento do ia...