31 de out de 2008

CONTAS COM O PASSADO

Eu era nova demais quando o filme passou na tv. Não aguentei ver, principalmente a cena que incitam prostitutas a beijarem a personagem. Implorei pra que a Dona mãe desligasse a TV. Mesmo sendo eu uma criança, sabia a maldade contida naqueles adultos fictícios (ou não).

Agora, com a tv arrumada, pude acertar contas com o passado. Assisti o "Homem Elefante".


(Cartaz: "eu não sou um elefante, eu sou um ser humano."

Talvez, como eu sempre fui meio que defensora dos frascos e comprimidos, fiquei surpresa no auge dos meus 9 anos, com o fato de muitos lucrarem com a desgraça alheia. Aliás, esse é um dos questionamentos do médico que descobre a personagem e acaba cuidando dela.

O médico? Ah, meus caros, é o ma-ra-vi-lho-so canibal ator:



Magnífica atuação, como sempre.

O filme trata de um caso verídico que ocorreu em Londres. É bem interessante. O que faz o filme mais charmoso na minha opinião, é que ele é em preto e branco. Eu sou fã de preto e branco.

Bom, o caso é que se você não viu, veja. (Igual o Silvio Santos :mà oiiiiii!)

É um filme muito bonito.

4 comentários:

Armud disse...

Não entendi !!!

Bonito ou medonho ...

Pq essas coisas de fofo eh pra marica e eu gosto de filme medonho ... de cabra machu !!!

BJUS

Débora disse...

É bonito e medonho. Mas não medonho no sentido de "ai meu Deus, que susto!"

Assista!

Dalila disse...

Girl, assisti ao documentário sobre a vida deste moço. No documentário falava sobre o filme e só então assisti ao filme.

É muito triste e perturbador.

Fiquei especialmente chocada quando as pessoas o perseguem na Estação e ele grita que não é um monstro, que é um ser humano, evitando assim que as pessoas o linchem. O linchem só por causa de sua aparência...

A história (real) é perturbadora ao mostrar que os monstros eram na verdade os que não possuiam deformação alguma, mas se aproveitavam das deformações dele para ganhar dinheiro, prendiam-no em jaulas de animais, deixavam ele sem comida...

Débora disse...

Dalila:Tudo o que vc conta, aparece no filme. Percebo então que o filme deve ter sido bem fiel à história do Merrick.

E concordo com tudo o que vc falou. Vc expressou todo o horror que eu senti com os 9 anos de idade, quando vi este filme.