25 de fev de 2008

PINACOTECA

Eu não conhecia a Pinacoteca. Melhor dizendo: ainda não a conheço completamente. Enganada pelos outros museus de Sampa, achei que daria pra conhecer tudo. Mentira! É impressionante a grandeza física do museu, e a quantidade de obras ali presentes.

Como estou ainda traumatizada das experiências fotográficas em lugares públicos, entrei e pensei ser o mais rápida possível na hora de fotografar o que eu quisesse. E sem flash. Aliás, o átrio do museu, com sua luz natural, favorece a ótimas fotos.

Agora imagina eu tirando a câmera às pressas da bolsa, tentando enquadrar a primeira obra que eu vi e logo me chamou a atenção:

Saiu assim, cortando todas as janelas de cima, a estátua meio torta ....

Daí vou andando pelo museu e percebo que TODAS as pessoas, estão fotografando alguma coisa:

Todos os tipos de câmeras: desde as profissionais às de celular pré-pago.

Fomos ver a exposição da Tarsila. Linda... completa. Os modernistas pra mim, foram muito importantes não só na minha vida escolar, mas tb a formação de pensamento, gostos e estéticas que eu procuro.
As salas da exposição da Tarsila, estavam bem cheias, parecia liquidação de sapatos. (Ah, guarde a palavra "sapato" na sua mente, ok?)

Quando chegamos em frente ao Abaporu, eu quase chorei de emoção. É emocionante vc ver ali na sua frente, algo que vc viu e estudou por anos na escola. Quase como que a persona da Tarsila estivesse ali.

E seguimos tentando ver vendo o acervo do museu:


Esta estátua, pra mim me disse muita coisa. Aqui na foto, apenas detalhe dela:


Tinha uma instalação doida lá que se chama "Contaminação", a obra se espalha por vários andares, interage com os frequentadores e é bem psicodélica:


Esta é feita de árvores que foram incendiadas. Ali, vendo uma candanga frequentadora pessoa fazer um coisa, tive um "estalo" que ainda vou realizar.


O acervo de obras do século 19 é muito lindo. Ficaria horas sentada olhando tudo, fácil, fácil. Mas, estava na hora de eu ir embora. O cansaço bateu tb, é verdade. Então resolvemos que um dia a gente volta. Quem sabe com amigos nos acompanhando, mas com duas certezas: um dia todo pra ver tudo e com um sapato confortável. Última dica: não estacione do lado de fora: fomos pacientes e esperamos uma vaga interna que além de ser gratuita, não toma multa como vimos os policiais fazerem.

Na Pinacoteca, vc pode ter demonstrações claras, do que é arte ou não:

Isto é arte:


Isto não é arte!!!!

4 comentários:

Lu disse...

Ah, quer incluir os amigos, né? Muito bem... mas o q vc fazia num museu em plena segunda-feira? rs

Qdo fui lá foi pra ver os quadrões do Maurício de Souza... aí tb rodei o resto dos andares, senão ia ficar com a consciência pesada de ter ido lá e não visto as obras clássicas hehe

Eu vi tudo rapidinho, claro que não parei pra ler e analisar os quadros, mas deu pra ter uma boa visão de todas as obras...

Este ano tem q sair nosso tour histórico, hein? Pq se Deus quiser, ano que vem não estarei aqui.

Bjs

Lu disse...

E se podia fotografar, cadê a foto do Abaporu com vc do lado chorando?

Débora disse...

Lu: não fui na segunda e sim no sábado. Os amigos, sempre eu tenho que chamar, pq eles nunca lembram de ligar pra saber "qual é a boa".

Sobre tirar a foto com o Abaporu, eu me amo, eu me adoro, mas não sou tão nasrcisita a ponto de ter tão grande egotrip.

Lu disse...

Ô, loco... vc tb nunca me pergunta qual é a boa, mas eu sempre encaminho os e-mails de programações que recebo, inclusive os links das notícias...

Aliás, meio fora de post, mas... vc consegue postar no meu blog agora e não o fez, ou ainda tá dando pau?

Bjs