7 de fev de 2008

IBIRAPUERA, EMOÇÕES E QUASE UM FURO

E era Segunda de Carnaval...
Resolvemos depois de vir pra cá, pro Tatuapé, resolver as pendengas da minha internet, ir pra um Petshop que soubemos que seria revolucionário. Digamos que eu vou suprimir o que era, pq assim fica fácil de vc localizá-lo. Logo, como eu não tenho NENHUM elogio ao estabelecimento, deixa pra lá qualquer tipo de divulgação. Digamos que não é nada legal vc ter animais silvestres em exposição pra crianças e adultos histéricos ficarem tocando. Mas claro, o dono do pet faz isso pq ele "adora e protege" animais.

Anyway. Saímos de lá dispostos então a nos divertir como bons nerds que somos de verdade e sugeri que fossemos pro Museu de Zoologia, ao lado do Museu Paulista. Mas, era segunda e nada cultural estava aberto. Mesmo assim, eu teimei e obriguei meu namorado sugeri que fossemos até o Ibira ver duas exposições.

O tempo, aquele cocô. Friozinho. Mesmo assim fomos. Pagamos cartão pra pôr no carro, de zona azul, pq dentro do Ibira era obrigatório em feriados. E seguimos pros pavihões. Mam? Fechado. Mac? Fechado. Pavihão Afro? Fechado. Planetário, Casa japonesa.... fechado, fechado, e tudo fechado .....

O jeito foi andar pelo parque:







Casais fofos e amorosos, me dão náuseas:

"ai bizunzinhu, amo voxê....." Ecaaaaaaa

Por incrença que parível, uma das margens bem bonitinha:


Pessoas descobrindo que gansos e patos não são criaturas ameaçadoras:


Depois de muito andar e ficar com mais preguiça, decidimos ir pra casa. Eis que quase surge meu primeiro furo "blog-jornalístico". Andando pela avenida, a caminhonete que estava na nossa frente, perdeu um pneu.

Isso.... a roda e o pneu, desprenderam-se do eixo e o carro ficou soltando aquelas fagulhazinhas que nem bombinha de são joão e o pneu seguiu caminho:

Aqui ele quicando:


Quase chegando no monumento do Brecheret e subindo no mesmo como os baianos candangos sem educação turistas fazem:


Lá ao fundo, a caminhonete imóvel.

Se eu fosse o cara, uma hora dessas eu tava rindo de nervoso, ou xingando alguém. (nessa hora eu com certeza teria um "culpado" na ponta da língua pra xingar)

Foi engraçado, apesar de ser uma situação nada cômica. A sorte é que não tinham tantos carros como de costume e o pneu conseguiu seguir seu caminho sem esbarrar em ninguém nem em algum carro na avenida.

Pra quem achava que na segunda, feriado morto da silva, não teria nada de diferente, tá aí a prova que sim: a vida te surpreende com as coisas mais bestas só pra vc ter o que contar no seu blog.

Um comentário:

Lu disse...

Caraca... tava com a câmera fácil na bolsa, hein? Deu tempo de fotografar o pneu ainda em movimento... perigoso, ainda bem que era feriado.

Casais lindos e amorosos naquele ângulo da foto me dão inveja... humpf