8 de jan de 2008

DAÍ ANDAMOS PACAS

a região é muito bonita. E claro, pra quem é de Sampa como eu, qualquer verde impressiona. Mas, chegando em Araxá, meu respectivo que já conhecia o lugar, me avisou que eu talvez fosse ficar impressionada com o que viria.

Confesso que fiquei. Da estrada vc não vê nada, porém, quando vc chega em frente mesmo ao Grande Hotel de Araxá, a impressão que vc tem é que chegou a um verdadeiro oásis. A arquitetura impressiona, toda no estilo monções. O lugar é grande pacas.




E então, eu soube que iríamos aproveitar a passagem, pra tomar um banho de águas radioatiovas. Porém, a única proibiçãoressalva que o namorado fez, foi não tomar banho com água sulforosa. Achei frescura da parte dele, mas mais pra frente, agradeci.

Tudo super conservado de época, que foi inagurado em 1942 e até o Getúlio tava por lá. Mas sabe aqueles fatos recorrentes que já escrevi aqui? Pois é, nas termas de Socorro, havia um vitrô quebrado no meu guichê, lá em Araxá tb. É que quando a gente fica dentro de uma banheira, tomando banho de borbulhas radioativas com cheirinho de alecrim, dá pra botar reparo em tudo, viu?

Ao invés de uma musiquinha relaxante, a funcionária avisa que o banho terminou. E fiquei novinha em folha pra explorar outras partes do Hotel, anexo às termas.



Por lá, vc encontra tb várias torneiras com água radioativa pra tomar e aqui está a gruta de água que dona Beija se banhava e tomava dessa água. Muitos creditam a beleza de dona Beija, à essa água.

E claro que eu tomei dela...... O salão, curioso, todo em estilo árabe. Não fotografei, mas os portões que fecham esse salão, são em estilo arabescos, lindos de doer.(pareci a Hebe agora).

Daí, como sempre, dei uma de "migué"e entrei no Hotel, perguntei algumas coisas e por gentileza do funcionário, entramos pra conhecer o Hotel por dentro, a área comum dele.

Conheci o salão de festas, que pelo jeito, tinha acacabado de rolar alguma coisa na noite anterior, muitas pétalas de rosas espalhadas pelo aparador:



Um dos lustres:





E tem tb a biblioteca, a sala de jogos (que já foi um cassino, antes da proibição) e pasme: todos os vidros das janelas, são em bisotê. Pra quem não sabe, isso na época que ele foi inagurado era muuuito caro. Até hoje é, mas eu fico pensando o auê que foi na inaguração e mesmo o funcionamento do Hotel na época áurea, digamos assim. Aquele tempo que as pessoas sabiam que Carmina Burana era nome de ópera, que as mulheres se vestiam bem....

Na saída, tem uma fonte de água sulforosa e lá fui eu experimentar dois dedos dessa água. Gente, que gosto é aquilo? Nem sei descrever. Na minha cabeça troncha, água sulforosa, era ácida, amarguinha.... não aquele gosto horroroso, pra falar o mínimo.

Daí entendi que seu eu tivesse contrariado o namorado, nem eu suportaria mais viajar comigo mesma, se eu tivesse tomado um banho dessas águas. Ainda escutei que "ela faz bem pra um monte de coisas"....

Pudera!!!
Seria uma puta sacanagem vc se submeter a um troço desses e essa água não fazer nada de bom.

E seguimos viagem, agora mais limpinhos por fora, revigorados por tanta beleza e talvez eu, um pouquinho mais limpinha por dentro.

Um comentário:

Lu disse...

Bom, pelo pouco que me lembro das aulas de química, enxofre não tem mesmo cheiro bom... então o gosto não podia ser bom, né?

Pra variar... fotos invejáveis... e passeios tb