2 de out de 2008

A MORTE DE TUDO O QUE ACREDITO

ATENÇÃO, POST LONGO, CHATO, COM E SEM MUITOS DETALHES, AUTOBIOGRÁFICO.

Tenho pra mim que se pode morrer de muitos jeitos. Um deles é morrer em vida. E muitos escolhem morrer em vida. Também há aqueles que nos decepcionam e para nós é como se morressem. É sobre esta última categoria que quero falar.

Hoje, pra mim, morreu mais uma pessoa.

Talvez a sua vida indecisa, o jeito de lidar com seus problemas, as estórias que ele jurava que eram histórias (e eu fingia acreditar), o jeito com que levava e trazia certas histórias sempre com um quê de malidecência...... fora a negação. A negação de que se tornou pra não magoar as pessoas com medo de que elas se afastassem dele. Negou seu jeito de ser, negou seu jeito de agir, negou seus gostos, suas preferências, tudo..... e agora que quer reaver sua vida, está vivendo um dilema.

Nada do que citei acima, tira dessa pessoa, o bom humor, o carinho, a preocupação com os outros, o otmismo (mesmo que nunca tivesse feito nada pra executar qualquer plano ou tarefa); nada do que citei tira todas as qualidades que ele têm.

Apenas cansei de ser usada no meio disso tudo. Cansei das mentiras, cansei dos fingimentos e do mundo de faz de conta que a pessoa jura que vive e quer que a gente acredite nisso.

Hoje, quando o procurei pra deixar bem claro o porquê estava eu saindo da vida dele, percebi coisas que me deram mais força ainda para me manter firme na minha intenção.

Primeiro foi a negação. Negou que não tinha feito nada de errado, nem mentido, nem fingido. Depois, ficou agressivo e tenho plena certeza que se eu não fosse mulher, teria ele batido em mim. Percebi pelo seu dedo em riste à minha face, que ele definitivamente não consegue ter uma conversa/discussão madura com ninguém. Como quase nem me deixou falar, entendo o porquê não consegue se entender com a namorada que ele diz tanto amar. Será que ele está pronto pra ouvir o que ela tem a dizer? Estaria pronto pra saber a opinião verdadeira dela? Teria ela forças pra tentar argumentar com ele os seus pontos de vista? Hoje percebi que não. Que isso é o que ele diz e é bem diferente do que ele faz.

Então passamos da negação pra agressividade e depois pra chantagem. Argumentou que a minha amizade significava muito pra ele, embora suas atitudes deixaram a desejar. Percebendo que eu não caio na mesma armadilha que a namorada dele, começou a argumentar que eu fiquei chateada por me sentir desprestigiada. Ora, essa ele errou feio! Prestígio falso, superficial nunca foi meu forte. Prefiro bastidores mais dignos. Coisa que ele tb vinha deixando a desejar. Bom, seguiu pra "frase do crítico": disse que eu vivo no meu mundinho perfeito, que eu sou muito perfeitinha/certinha (usando de ironia, claro) e que eu não admito erros. (Embora eu não me lembro mesmo dele pedir desculpas pelos seus erros, sequer admití-los.).

Percebi então, que o meu "mundinho perfeitinho" estava pesando demais na nossa convivência. Então, eu disse as seguintes palavras: "Te livro desse peso que é conviver comigo. Vc não consegue mais conviver com meus defeitos e eu não consigo mais conviver com falta de confiança. Farei um favor pra nós dois."

Juntando tudo, a pessoa péssima que eu fui pra ele, a pessoa que eu decidi não relevar mais e a discussão mais imatura que eu já presenciei de uma pessoa que eu esperava certa maturidade.... decidi deixar meu amigo morrer.

Hoje ele morreu pra mim. Quero guardar o bom amigo que morreu nas minhas fotos, nos presentes que ele me deu, nos poucos recados que ele me escreveu de punho. Guardo os momentos que eu julgo que foram sinceros. Os demais momentos, morreram.

Claro que eu sou uma pessoa que acredita na transformação. Mas para isso, para que meu amigo pudesse "reencarnar", ele teria que ser alguém bem diferente do que se mostra. Deveria fazer todas as mudanças que ele pode e sabe que já pode fazer. Teria que fazer uma coisa muito simples: ser a pessoa que ele diz que é.

Também gostaria que deixasse a maledicência pra trás, juntos com as fofocas e as pequenas mentiras que ele não revela a troco de magoar as pessoas que ele gosta. Pq de qualquer forma, mesmo que a gente não as saiba, elas nos afastam.

E ela me afastou de vc, meu amado amigo-irmão.

Descanse em paz com sua consciência e siga firme no seu novo caminho. A mesma felicidade que sempre te desejei, continua pulsando. Pq o verdadeiro amor não morre. Se modifica. Mas não morre.


Nenhum comentário: