10 de jan de 2008

ASSUNTANDO

E assim começou o dia: eu com o maior sono e tendo que sair da cama. Hoje especialmente, estava mais difícil levantar. Programei uma roupa pra usar hoje (afinal, ultimamente estou mais sociável e vejo mais pessoas) e quando acordei, desisti. Mais tarde me arrependi de não ter seguido a programação.

Lá fui eu rumo ao meu destino e mostro pra vcs agora o que o Gilberto pouco Sab(e) Kassab anda aprontando:




Medo de fotografar na rua vazia... Aliás, ô horário pra ter gente de outro mundo feia circulando....

Agora notem que esta é a rua de principal acesso ao meu querido bairro e a "limpeza" é algo notável:



Imagina sem calçada pela Tuiuti, andando pela rua mesmo, disputando espaço com duas faixas de carros, ônibus e motoqueiros......

E assim a vida seguiu. Sei que outras visões dantescas eu ainda hei de presenciar durante essas obras.
Mais tarde, um dos remanescentes clientes me entregou uns cds que mais foram emprestados que alugados e dei graças a Deus por estar mudando de vida. Afinal, mesmo com tudo mirradinho, as pessoas não querem bancar pela sua diversão. É essa a conclusão que eu chego.

Mas também, se as pessoas não estão dando a cara à tapa pra se relacionar de verdade com outras pessoas, se as pessoas não querem mais animaizinhos de estimação "pq um dia eles morrem e vc sofre muito", se elas querem entrar pra um serviço voluntário pq é maior legal "mas um que não seja cansativo", o que vc pode esperar MESMO do seres humanos?

Anyway, voltando....

Estou pensando em mandar um daqueles meus e-mails fofinhos pra prefeitura de São Paulo, remetida diretamente ao nosso solteirão mais carola que eu conheço mais bizarro que comanda nossa prefeitura e sugerir que ele se comprometa a fazer uma cidade limpa começando pelas varrições de ruas e autuações de camelôs e transeuntes que jogam lixo no chão.

Pensa bem: a prefeitura arrecadaria mais dinheiro, geraria empregos (funcionários públicos fiscalizadores) e a população aprenderia com o seu órgão mais sensível (bolso) a se educar.

Antes de vc me falar assim "mas será que o fiscal não fará vista grosssa?", quero contar mais um episódio da minha vida bizarra:

Estava eu saindo de um lugar que não te interessa não faz diferença em saber e um guardador de carros, íntimo de um gari, pegou a vassoura e foi varrer a sarjeta e a calçada, "pra que meus clientes fiquem no limpinho". O gari, rapidamente pegou a vassoura e pediu que ele parasse com a brincadeira, afinal quem estava na fiscalização era um tal de Moreira, ou Ferreira, ou Macieira; não lembro.

Segundo o gari, "esse chefe aí é foda, faz a gente varrer ATÉ a calçada, quer tudo bem limpinho".(note que o serviço dos garis, seria varrer as ruas, mas pelo jeito é só varrer as sarjetas)

Meu, fiquei muito curiosa pra conhecer o tal chefe e esperei por mais alguns momentos pra conversar com ele. Pena que ele não apareceu.

Gostaria muito de conhecer um sujeito que leva a sério demais o seu serviço e ainda: um serviço que é interminável e pouco valorizado pela grande maioria da população.

Um comentário:

Mana Iza disse...

Meu bairro tá um xikeiro...faz falta muito xefe fodão e fiscalização pesada. ou vai a bem, ou a mal.